Agroecologia em Rede no ERA Amazônia

Share

O Seminário Temático estimulou a produção de relatos pelas/os próprios participantes exercitando possibilidades de cadastramento na plataforma do Agroecologia em Rede

Durante o IV Encontro Regional de Agroecologia da Amazônia, aconteceu a primeira oficina territorial do “Agroecologia em Rede (AeR)”. A atividade foi um dos oito Seminários Temáticos que aconteceram na quinta-feira, dia 8 de novembro, no Centro de Treinamento e Tecnologias Alternativas Tipiti, localizado no município de Abaetetuba, no Pará.

A partir de uma parceria entre a ABA, a ANA e a Fiocruz, o Agroecologia em Rede – sistema de informação sobre experiências agroecológicas – está em fase de revisão e reconstrução de suas estratégias de registro, uso e navegação.

Nesse novo ciclo de vida da Plataforma, a proposta é potencializar os caminhos que permitam visibilizar a diversidade de práticas de muitas famílias, povos e comunidades tradicionais e suas articulações em rede nos territórios.

Durante o Seminário Temático “Agroecologia em Rede”, estudantes, lideranças sindicais, movimentos sociais, assessoras de organizações não governamentais, representantes de instituições de pesquisa e agricultores/as, fizeram propostas para qualificar esse processo de revisão tendo em vista a realidade da Amazônia.

Entre as principais sugestões colhidas no ERA estão: a construção de processos presenciais de atualização e cadastro das experiências da região, articulado a partir do projeto de sistematização de experiências da ANA Amazônia e o fortalecimento da rede de comunicadores/as populares entre os estados da região Norte do país.

Com a presença de moradores/as de Barcarena (PA), conversamos ainda sobre os diversos conflitos que ameaçam as comunidades do Pará e de toda a Amazônia. Em fevereiro deste ano, vazamentos e o transbordo de rejeitos de bauxita da mineradora norueguesa Norsk Hydro atingiu inúmeras famílias ribeirinhas que vivem da pesca e do turismo e impactou drasticamente a fauna e a flora local e, portanto, a pesca de subsistência na região.

A partir deste caso, conversamos sobre o Mapa de “Conflitos e Injustiças Ambiental e Saúde” articulado pela Fiocruz e seu diálogo direto com a plataforma do Agroecologia em Rede. Umas das preocupações, neste novo processo de revisão do AeR, é ampliar nossa capacidade de ação e resistência popular frente aos conflitos que se expandem e intensificam.

Diante de tantas ameaças à vida e à democracia, neste momento de imensos retrocessos no Brasil, o Agroecologia em Rede é mais uma das formas de construir articulações e valorizar os caminhos que nos lembram que: “ninguém solta a mão de ninguém”.

Para navegar pela plataforma do AeR, acesse: http://agroecologiaemrede.org.br/

Aproveite também para conhecer o Mapa de Injustiça Ambiental e Saúde:

https://www.conflitoambiental.icict.fiocruz.br/

Para saber mais como foi o ERA Amazônia, acesse também o site da ANA: http://www.agroecologia.org.br

#AgroecologianaAmazônia

#AgroecologiaemRede

#SemComunicaçãoPopularNãoHáAgroecologia

  0 COMENTÁRIOS
Blog News notícias Página Inicial Sem categoria Uncategorized

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros: