Inspiradas nas lutas dos povos as Caravanas Agroecológicas e Culturais são tema de curso realizado em Belém/PA

Na região norte do Brasil, durante os dias 20 e 22 de fevereiro, aconteceu o Curso para construção de Caravanas Agroecológicas, evento que promoveu a reflexão sobre elementos conceituais e metodológicos que facilitem processos de construção de caravanas agroecológicas e instalações pedagógicas em agroecologia pensados para a região.

Inspiradas nas lutas dos povos, em suas romarias e caminhadas, as Caravanas Agroecológicas e Culturais se iniciaram no Brasil a partir do III Encontro Nacional de Agroecologia (ENA), realizado em 2014, em Juazeiro – BA. Essa proposta metodológica foi apresentada à Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) pelo Programa de Extensão Universitária TEIA, da Universidade Federal de Viçosa/MG, com o objetivo de promover, a partir de uma abordagem territorial ampla e independente, leituras compartilhadas sobre determinados contextos e temas, a fim de propiciar o exercício político-pedagógico coletivo de análise e mobilização popular em torno de temas e problemáticas existentes nos territórios.

O curso foi organizado pelo Núcleo Puxirum Agroecológico e pela Rede Amazônica de Núcleos de Agroecologia, contando com a coordenação técnica de Tatiana Deane de Abreu Sá e José Gomes de Melo Júnior, apoio da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA) e a participação de 27 pessoas de diversos Núcleos de Estudo em Agroecologia (NEA’s) da região Norte como: NEA da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) Campus Capitão Poço, NEA da UFRA Campus Paragominas e Tomé-Açu, NEA Ajuri da Universidade Federal do Pará (UFPA), NEA do Instituto Federal do Pará (IFPA) Campus Castanhal, NEA do IFPA Campus Rural de Marabá, Unitas Agroecológica do Centro Universitário Luterano de Palmas/Centro Universitário Luterano de Palmas – CEULP/ULBRA, NEAGRO e Núcleo de Socioeconomia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Instituto Agroecológico Raízes da Amazônia, além de representantes do Projeto Tipitamba da Embrapa Amazônia Oriental, da Universidade Federal do Oeste do Pará, do Fórum Paraense de Economia Solidária, Toró Gastronomia Sustentável e Casa Design & Produção Sustentável.

A facilitação dos espaços contou com a contribuição de Yolanda Maulaz Elteto, bolsista do Projeto de Sistematização de Experiências da ABA e que atuou na Rede de Núcleos de Agroecologia (R-NEA) do Comboio Agroecológico do Sudeste, que trouxe uma apresentação descritiva das Caravanas da região sudeste, com os componentes desta metodologia como: rotas, caderno do participante, Instalações Artístico Pedagógicas, momentos de partilha, troca de sementes, culturais, plenária e ato público.

No processo de construção coletiva da agenda das caravanas no norte, suas realizações foram programadas para o mês de maio para as duas Caravanas Agroecológicas no Amazonas, para a Caravana Agroecológica no Tocantins (de 22 a 25 de maio) e para a realização da Caravana Agroecológica do Pará (de 13 a 29 de maio).

A Caravana Agroecológica do Pará ainda terá que definir sua culminância – que poderá ser em Marabá, Castanhal ou Belém, com rotas que contemplem regiões como a da cidade de Santarém, do Nordeste Paraense e do Sudeste/Sul do Pará – em reunião no IFPA Campus Castanhal, no dia 15 de março às 08h00.

Texto: José Júnior/ Núcleo Puxirum Agroecológico – Embrapa Amazônia Oriental

Revisão: Tatiana Weckeverth/ Comunicadora ABA

Blog Página Inicial
Tópicos recentes
Sobre a ABA-Agroecologia
Parceiros