V Congresso Brasileiro de Agroecologia
01 a 04 de outubro de 2007, Guarapari/ES.

Tema: Agroecologia e Territórios Sustentáveis

Rev. Bras. de Agroecologia/out. 2007 Vol.2 No.2

 

O Espírito Santo, através das suas organizações, instituições e movimentos sociais, vem estruturando, há anos, um conjunto de ações que a princípio se denominou de “agricultura alternativa”. No processo de maturação, através das práticas, debates, intercâmbios e pesquisas, a visão de agricultura alternativa foi dando lugar a uma perspectiva mais abrangente de desenvolvimento sustentável, fundamentada no respeito ao conhecimento local, aos princípios da Agroecologia e nas especificidades da agricultura familiar.

Sustentadas por esta bagagem histórica, as instituições capixabas, ainda em 2004, começaram a pleitear a realização do Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA – Agroecologia) no estado.

Em 2006, por iniciativa do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural – Incaper, através de uma ampla mobilização e participação das organizações governamentais e não governamentais atuantes na promoção da Agroecologia, construiu-se a candidatura do Espírito Santo para realização deste Congresso. A participação de uma comitiva formada por 70 pessoas do Estado no IV CBA – Agroecologia, em novembro de 2006, traduziu a mobilização, articulação, afinidade e vontade de realizar um evento que pudesse expressar o estado da arte da Ciência e do saber popular dentro dos princípios agroecológicos.

A mobilização e participação dos atores sociais iniciadas no IV CBA – Agroecologia, em Belo Horizonte, buscando a construção de propostas a partir da experiência vivenciada pelo grupo e da avaliação dos resultados alcançados naquele evento, alicerçaram o processo de construção do congresso no Espírito Santo.

Iniciou-se a preparação do V CBA – Agroecologia com alguns desafios: aprofundar mudanças no formato do Congresso tornando-o mais interativo e participativo e adotar um conjunto de medidas na sua construção e realização que pudessem traduzir conceitualmente a identidade do evento. Almejava-se também que a fase preparatória não tivesse apenas a realização do evento como fim, mas também fosse meio para o fortalecimento das relações interinstitucionais, para o aprofundamento conceitual, metodológico e prático da Agroecologia nas escolas e contribuísse para a consolidação do processo de construção agroecológica no estado e nas regiões.

Com essa perspectiva, a partir de dezembro, a primeira oficina de caráter mobilizador, definiu de forma participativa o tema central “Agroecologia e Territórios Sustentáveis” e os sub-temas que nortearam a programação do evento. As etapas de construção da programação, definição de palestrantes e do formato do evento foram sendo construídas através de oficinas que permitiram a participação de vários atores sociais ligados à promoção da Agroecologia no estado.

Os eventos englobaram 1505 participantes e a apresentação de 436 trabalhos, foram realizados em locais distintos visando abranger públicos diferenciados, especialmente escolas, sindicatos e associações de agricultores familiares. Um produto dessas ações foi a maior visibilidade dos processos agroecológicos que estão sendo desenvolvidos no estado e o envolvimento de diferentes parceiros na elaboração do evento.

Desde o início reconheceu-se a necessidade de ampliar a participação dos agricultores na organização do Congresso. Esta se deu através de suas representações nas Comissões de Trabalho e em diversos outros momentos. As oficinas “Cores da Terra” envolveram agricultores, assentados, pescadores, quilombolas, índios e estudantes, principalmente as mulheres, de todas as regiões do estado. Nelas se resgatou o preparo e o uso de tintas à base de solo e os participantes puderam expressar artisticamente o tema e a identidade visual do V CBA-Agroecologia.

De forma mais efetiva ainda, destaca-se o compromisso e a organização das famílias de agricultores agroecológicos que cultivaram boa parte dos alimentos destinados ao preparo das refeições durante o Congresso e de todos os que participam da feira agroecológica.

O tema gerador da programação do evento – Agroecologia e territórios sustentáveis-, encontra-se em grande evidência na agenda dos movimentos sociais do Espírito Santo e do país e apresenta considerável relevância para o avanço do enfoque agroecológico. A construção dos territórios de maneira sustentável vem se constituindo como um tema central das abordagens teórico-metodológicas de diversas instâncias federais (MDS, MDA, MI, entre outros) configurando-se como principal estratégia de integração de diversas políticas públicas e de fortalecimento do capital social e humano para o desenvolvimento regional. Também vem sendo discutido nos mais diferentes fóruns brasileiros, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Sustentável (CONDRAF) e a Rede Alerta Contra o Deserto Verde.

A partir deste eixo orientador, os diversos sub-temas e temas transversais foram abordados nos diferentes momentos e atividades do congresso. A seleção de palestrantes procurou retratar essa diversidade de temas e visões, buscando-os na academia, nas esferas governamentais e nos movimentos sociais da África, das três Américas e do Brasil.

A valorização de métodos participativos e do diálogo de diferentes saberes, nos espaços do Congresso, resultou na realização do II Seminário de Construção do Conhecimento Agroecológico, que nesta edição apresenta uma dinâmica que amplia e valoriza os momentos de reflexão e debate.

Um importante alinhavo nessa programação foi dado pelas atividades artísticas e socioculturais, que buscaram promover as pessoas, seu lugar e sua cultura, permeando e acentuando as atividades técnico-científicas e imprimindo a marca do V Congresso Brasileiro de Agroecologia.

COORDENAÇÃO, COMISSÕES E APOIOS

Coordenadora do V Congresso Brasileiro de Agroecologia

Marcia Neves Guelber Sales – Incaper/ Vice Presidente da ABA-Agroecologia para o Sudeste

Secretaria Executiva

Decimar Schutz – GTZ Federica Natasha G.A.S. Sodré – Incaper

Comissão Organizadora

Alfredo Stange – Gerência de Agricultura Orgânica /SEAG
Bernardeth Bona D. Alves – Incaper
Daniel do Nascimento Duarte- Incaper
Decimar Schutz – Assessor – GTZ
Edegar Antônio Formentini – Incaper
Eduardo Ferreira Sales – Incaper
Federica Natasha G.A.S. Sodré – Incaper
João Batista Silva Araujo – Incaper
Marcia Neves Guelber Sales – Incaper
Natalino Cassaro – Fetaes
Reginaldo Armelao – Fetaes
Victor dos Santos Rossi – Chão Vivo

Comissão Científica

João Batista Silva Araujo – Incaper (Coordenador)
Alessandra Maria da Silva Machado – Incaper
Alex Fabian Rabelo Teixeira – Incaper (Editor da temática Recursos Naturais)
Antonia Brito Rodrigues Frattolillo – UFES (Editora da temática Sociedade e Natureza)
Eduardo Ferreira Sales – Incaper (Editor da temática Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis)
Jacimar Luis de Souza – Incaper
João Antonio Motta Neto – Faesa (Editor da temática Desenvolvimento Rural)
Luís Carlos Leonardi Bricalli – Incaper
Paulo César Scarim – UFES/ Departamento de Geografia

Comissão Sociocultural

Rita de Cássia Zanuncio Araújo – Incaper (Coordenadora)
Alessandra Maria da Silva Machado – Incaper
Dirceu Godinho Antunes – Incaper
Edson Cozer – Certificadora Chão Vivo
Gisila Fleger – Prefeitura Municipal de Santa Maria de Jetibá Lauro Narcis – IEMA
Pierângeli Cristina Marin Aoki – Incaper
Rachel Quandt Dias – Incaper
Reginaldo Drago Lovatti – Prefeitura Municipal de Iconha

Comissão de Infra-estrutura

Bernardeth Bona D.Alves – Incaper (Coordenadora)
Mário César Ewald – Incaper
Rogério Rodrigues – IEMA
Viviane Starling Schwanz – Incaper

Comissão de Alimentação

Edegar Antônio Formentini – Incaper (Coordenador)
Dirceu Godinho Antunes – Incaper
Francisco Reinaldo Loss – Incaper
Lozenil Rodrigues – Incaper
Vanderli Miranda – Incaper
Vera Lúcia Martins Santos – Incaper

Comissão de Divulgação

Federica Natasha G.A.S. Sodré – Incaper (Coordenação)
Christiano Boza – CCA-UFES
Normeliana Santos Santana – Feps
Reginaldo Armelao – Fetaes
Victor dos Santos Rossi – Chão Vivo

Oficinas

Daniel do Nascimento Duarte – Incaper (Coordenação)
Geraldo Mendes da Silva – Incaper
Paulo Radaik – Prefeitura Municipal de Aracruz

Colaboradores

Alcéia Maria Bergami Basoni – Incaper
Ana Paula Gomes – Bolsista – Fapes
Danielle Giacomim – Estagiária
Hans Christian Schmidt – GTZ
Maria Izabel Rodomisk
Victor Maurício da Silva – Estagiário

Realização

UFES, Chão Vivo, Fetaes, Incaper, SEAG

Patrocínio Oficial

MDA/IICA, SEBRAE, GTZ, SEAG

Patrocínio

MDS

Apoio

MMA, CNPq, FLD

Colaboração

MCT, IEMA, FAPES, Marca Ambiental

Posts recentes
RSS Campanha Contra os Agrotóxicos
RSS Articulação Nacional de Agroecologia
RSS De Olho nos Ruralistas
RSS Em pratos limpos
Parceiros