POR ONDE CAMINHAM AS EXPERIÊNCIAS em Saúde e Agroecologia no Brasil?

Já estão disponíveis os resultados do mapeamento “Tecendo Redes de Experiências em Saúde e Agroecologia”!

Celebrando a finalização de um intenso processo de mobilização que percorreu diferentes comunidades, organizações e territórios, no Brasil e na América Latina, partilhamos   a colheita das experiências em saúde e agroecologia um dos principais processos de sistematização e mapeamento e animado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e parceria com a ABA-Agroecologia e a Articulação Nacional de Agroecologia através da plataforma Agroecologia em Rede.

O primeiro ciclo do mapeamento teve como objetivo colaborar para o fortalecimento das experiências em saúde e agroecologia no Brasil, a partir da identificação e do reconhecimento das práticas, saberes e estratégias construídas pela diversidade de povos e comunidades tradicionais, movimentos sociais, coletivos, grupos de educação e pesquisa, instituições, Organizações Não Governamentais (ONGs) entre outros.

O processo de sistematização foi construído de forma coletiva, mobilizando diversos grupos ao longo do ano de 2020: da elaboração do formulário e curadoria, em março, passando pela etapa de revisão ampliada e teste do instrumento de pesquisa por 20 experiências distribuídas pelas cinco macrorregiões do país, chegando à etapa de cadastro das experiências. Após o potente evento de lançamento, realizado no dia 7 de julho, seguiram-se dois meses de colheita de cadastros. Na culminância do processo de curadoria e análise dos dados um primeiro relatório com os resultados dessa pesquisa é lançado hoje (dia 07 de dezembro).

Resultados

O relatório traz uma análise dos primeiros resultados da pesquisa. Ao longo de 2 meses de mapeamento, foram cadastradas 165 experiências, realizadas por 96 organizações, com uma diversidade de temas e abrangência das ações. Os resultados possibilitam  identificar diálogos e convergências entre essas ações, trazem pistas sobre como o conjunto dessas experiências atua nos mais diferentes territórios e nos provocam a refletir sobre outros caminhos possíveis.

Acesse aqui o arquivo com o relatório completo:

O processo de mapeamento das experiências em saúde e agroecologia foi iniciado em meio a uma das mais graves crises sanitárias das últimas décadas, a pandemia da Covid-19. No formulário foi possível mapear a relação entre as experiências e a pandemia. Do total de cadastros, 43 experiências apontaram que já aconteciam antes da pandemia e sofreram  ajustes devido ao contexto enquanto 8 foram identificasse como experiências novas, criadas em resposta à pandemia.

Dentre os tipos de experiências cadastradas, se destacam as iniciativas em Ensino-pesquisa-extensão; Cuidado em Saúde e Alimentação e Nutrição, como apresentado no gráfico.

Já em relação ao local de realização das experiências, que corresponde a um endereço de relevância para a experiência cadastrada, é possível visualizar (no mapa abaixo) 149 experiências sinalizadas por georreferenciamento, sendo que dessas, 71 são experiências relacionadas diretamente à Fiocruz.

Esses e muitos outros dados estão organizados e detalhados no relatório inicial. A partir de hoje, os dados também estão disponíveis para consulta no site da plataforma do Agroecologia em Rede, acesse!

Na página do Instagram da plataforma cards e outros conteúdos também estão disponíveis: acesse aqui. Para assistir o vídeo da campanha no YouTube, clique aqui

Acesse, abaixo, o arquivo do relatório completo com os resultados do mapeamento de experiências em saúde e agroecologia.

A sistematização de experiências em saúde e agroecologia é uma ação coordenada conjuntamente pela Agenda de Saúde e Agroecologia da Fiocruz (ligada à Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde – VPAAPS), Associação Brasileira de Agroecologia (ABA-Agroecologia) e Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). Participaram ativamente do processo de elaboração e revisão do instrumento de pesquisa representantes da Agenda de Saúde e Agroecologia Fiocruz (VPAAPS), do Campus Fiocruz Mata Atlântica, do Observatório Nacional de Saberes e Práticas Tradicionais, Integrativas e Complementares em Saúde (ObservaPICS), da RedesFito: Inovação em Medicamentos da Biodiversidade, do Mapa de Conflitos envolvendo Injustiça Ambiental e Saúde no Brasil, da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN), do GT Saúde da ABA-Agroecologia e representantes de organizações sociais que compõem as redes da ANA.

#agroecologiaemrede #saudeagroecologia #agroecologia #SUS #saudecoletiva

A partir do dia 9 de dezembro relatos  de cada experiência mapeada estarão disponíveis na plataforma do AeR. Confira em: https://www.agroecologiaemrede.org.br 

Deixar uma resposta